5 minutos para ficar a saber tudo sobre os queijos da Normandia

Inspiração

NormandiaCultura e PatrimônioGastronomia e Vinho

GMVozd  / Istockphoto
© GMVozd / Istockphoto

Tempo de leitura: 0 minPublicado em 10 janeiro 2018, atualizado em 1 junho 2024

Segredos de fabrico, explicação dos seus aromas delicados… Em 5 minutos, vai ficar a saber tudo (ou quase) sobre os queijos da Normandia, berço do camembert e pátria das vacas leiteiras.

Top 4 dos queijos normandos

Um camembert no forno
© RBOZUK / Istockphoto - Um camembert no forno

N° 1: camembert da Normandia N° 2: livarot N° 3: pont-l’évêque N° 4: neufchâtel Estes quatro queijos possuem o selo Denominação de Origem Controlada, marca do know-how regional que prevalece no seu fabrico.

Camembert vs cheddar

Um bocado de queijo
© Petrych / Istockphoto - Um bocado de queijo

A partir de 911, em França, os produtores e agricultores faziam queijo para o seu próprio consumo. Só nos séculos XII e XIII é que a produção se desenvolveu para evitar que os ingleses e o seu cheddar tivessem o monopólio do queijo.

"Angelots"

Um prato de queijos
© Magone / Istockphoto - Um prato de queijos

Era assim que se chamavam todos os queijos na Idade Média. Como é que os diferenciavam?!

Um coronel!

A cura do livarot na Normandia
© Joebrandt / Istockphoto - A cura do livarot na Normandia

Se o livarot fosse militar, seria coronel. Obteve os seus próprios galões: cinco faixas de junco. Envolver o queijo com estas fitas já vem da abertura da linha de caminhos de ferro Paris-Lisieux-Caen, que lhe permitia conquistar novas terras. Pobre em gordura, servia para evitar que ele abatesse. Um coronel tem de manter a postura!

Amor normando

Um neufchâtel em forma de coração
© Philipimage / Istockphoto - Um neufchâtel em forma de coração

O neufchâtel é bonito como um coração. Segundo a lenda, a sua forma deve-se a uma tradição da guerra dos Cem Anos. As jovens normandas davam-lhe esta forma para declarar o seu amor aos soldados ingleses a quem ofereciam. Se procura uma ideia para o próximo Dia dos Namorados…

Quanto pior cheirar, melhor é o queijo!

Um queijo bem mole
© Destillat / Istockphoto - Um queijo bem mole

É um facto: os queijos que exalam um maior cheiro são os que possuem mais sabor. O nível do aroma vem da casca que é lavada várias vezes para adquirir um aspeto bonito. Na classificação mundial dos queijos mais perfumados, a França domina os dez primeiros lugares. A Normandia está bem representada com o pont-l’évêque e o livarot, em 2º e 8º lugares, respetivamente.

Porque é que o pont-l’évêque tem riscas?

Tipicamente normando: o pont-l’évêque
© Juanmonino / Istockphoto - Tipicamente normando: o pont-l’évêque

O pont-l’évêque é fácil de identificar pela sua forma quadrada e riscas na casca. Mas de onde vêm estas riscas cor de laranja?! Da bactéria Brevibacterium linens, que é utilizada durante a lavagem para ativar a fermentação e conservar o queijo. Basta uma simples coloração que não retira o sabor, mas dá o seu charme!

Leite cru ou pasteurizado?

Caixas de camembert empilhadas
© Sisoje / Istockphoto - Caixas de camembert empilhadas

Os franceses adoram os queijos de leite cru, mais fortes e mais saborosos. No entanto, há países em que estes queijos são proibidos. Por isso, aproveite quando estiver no país do leite cru para saborear este fruto proibido. Comece por um bom camembert com uma fatia de pão estaladiço...

Uma playlist sobre o tema

Visitar as aldeias: Camembert, claro, e Livarot para conhecer o processo de fabrico do livarot e do pont-l’évêque na queijaria Graindorge. • Visitar o museu: do camembert em Vimoutier, onde pode adquirir um queijo numa caixa com a sua fotografia. • Ver o filme: La grande course au fromage, de Rasmus A. Sivertsen, que vai agradar a pequenos e graúdos. • Fazer as receitas do livro: Jean-François Mallet, Camembert Le Petit, Larousse, 2013.

Para mais informações:

Prepare a sua viagem

Por Lisa Azorin

Jornalista-redatora