Allez au contenu Allez à la navigation Allez à la recherche Change language

O lema da República Francesa

Instituições e valores 17e, 18º e 19º séculos

Se não conseguir ler o mídia,, baixe o Flash Player.

  • O lema da República Francesa

    O lema da República Francesa

    O lema volta a ser inscrito na fachada dos edifícios públicos por ocasião da celebração do dia 14 de Julho de 1880. © AFP

  • A Liberdade Guiando o Povo

    A Liberdade Guiando o Povo

    Eugène Delacroix, 1830, Musée du Louvre, Paris. © RMN-Grand Palais

  • O lema da República Francesa

    O lema da República Francesa

    Herança do século das Luzes, o lema “Liberdade, Igualdade, Fraternidade” é proferido pela primeira vez durante a Revolução francesa. Contestado em diversas ocasiões, acaba por se impor durante a 3ª República. Ficou consagrado na constituição de 1958 e faz atualmente parte do nosso patrimônio nacional. © DR

  • O lema da República Francesa

    O lema da República Francesa

    Musée du Carnavalet, Paris. © RMN-Grand Palais / Agence Bulloz

“Liberdade, Igualdade, Fraternidade”, o lema da França faz parte do nosso patrimônio nacional.

Associadas por Fénelon no final do século XVII, as noções de liberdade, igualdade e fraternidade são largamente divulgadas durante o Iluminismo, no chamado século das Luzes.

O lema “Liberdade, Igualdade, Fraternidade” provém da Revolução francesa: surge nos debates públicos a partir de 1790, antes da proclamação da Primeira República.

Como muitos outros símbolos revolucionários, o lema cai em desuso durante o Império. Reaparece durante a Revolução de 1848, dotado de uma dimensão religiosa: os padres celebravam o Cristo-Fraternidade e benziam as árvores da liberdade que então foram plantadas. Quando foi redigida a Constituição de 1848, o lema “Liberdade, Igualdade, Fraternidade” é definido como um “princípio” da República.

Tratado com indiferença pelo Segundo Império, acaba por se impor durante a 3ª República. Todavia, constatam-se ainda algumas resistências, incluindo as dos partidários da República: a solidariedade é por vezes preferida à igualdade que implica um nivelamento social e também não reúne consenso a conotação cristã que a fraternidade possui.

O lema volta a ser inscrito na fachada dos edifícios públicos por ocasião da celebração do dia 14 de Julho de 1880. Está consagrado nas Constituições de 1946 e 1958 e é atualmente parte integrante do nosso patrimônio nacional. Vamos encontrá-lo em objetos de grande difusão, como é o caso das moedas e dos selos de correio.